O dueto Boschetto – Amadè inflama o Teatro Impero

Tradução da resenha publicada em 3 de fevereiro de 2014 no  Il VomereLa Coppia Boschetto – Amadè infiamma il Teatro Impero – por Abele Gallo.

(Obrigada a Roberto Amadè por compartilhar no Facebook)

Concert Amadè – Boschetto

No palco com Ignazio e Roberto
O dueto Boschetto – Amadè inflama o Teatro Impero

:: traduzido por Mari Russu

Como colaborador do “Il Vomere” e como músico, estou feliz em escrever sobre a maravilhosa experiência que tive a honra de ter na ocasião de um dos mais importantes eventos que Marsala sediou recentemente.

Ignazio Boschetto, um jovem tenor de Marsala e famoso ao redor do mundo como parte do trio  Il Volo, foi o criador de um concerto – evento que ele decidiu organizar em sua cidade para seu amigo Roberto Amadè, um cantor do Piemonte, que foi o terceiro na categoria “Nuove Proposte” em Sanremo em 2011; o concerto teve o apoio da secretaria Patrizia Montalto e da cidade de Marsala, da família Curti, assim como de um grande número de amigos que trabalharam com Ignazio, com Caterina, Nina e Vito Boschetto, para que a cidade pudesse desfrutar um dos mais interessantes shows dos últimos anos.

Graças a sua bondade e autenticidade, e sendo grato a sua própria terra, apesar de sua crescente fama mundial, Boschetto decidiu juntar alguns músicos de Marsala para acompanhar seu amigo Amadè no palco do Teatro Impero  em duas horas de música que fizeram inesquecível o dia 2 de fevereiro: Francesco Giammartino no baixo eletrônico, o maestro Gino De Vita na guitarra e eu mesmo na bateria, tornamos “azul” a performance dos dois cantores, num concerto onde as canções inéditas do artista de Vercelli tiveram um forte impacto no coração e nos ouvidos da audiência (não havia lugar vazio no teatro) e, também, dos especialistas.

Roberto Amadè demonstrou ser um grande cantor e compositor, assim como um incrível pianista e músico, mas também se revelou uma pessoa profundamente gentil, educada e carinhosa num modo desarmante; toda a sua essência se reflete em suas canções, cativantes, profundas e intensas, como “Devo andare”, “Come pioggia”, “Gocce di virtù” e “La resa del perdono”, canções interessantes que podem elevar o nível do rádio e da televisão se o mercado musical fosse mais sensível aos verdadeiros talentos.

Ignazio, forte em seu próprio currículo como uma estrela internacional, que eu vi dominar os palcos mais importantes no mundo, trabalhando com uma miríade de artistas de fama mundial(em 6 de março estará no palco do Madison Square Garden em New York para o concerto dos vinte anos de carreira de uma “certa”Laura Pausini), deu à audiência momentos marcantes cantando em dueto com Amadè a canção “Miserere” que nos deu arrepios, a inédita “Una vita migliore”, e fechando com “Il mondo” e, então, deixando o palco para seu colega e amigo, mas não sem antes agradecer a Marsala pela recepção e prometer trabalhar duro para trazer o ”Il Volo” para Capo Boeo.

Roberto foi, também, protagonista de um intervalo “piano e voz” com um outro destaque da música italiana,a talentosa Micaela Foti, que foi a segunda entre os “Jovens” em Sanremo 2011, com a canção “Fuoco e cenere”; pelo resto do show pareceu estar muito emocionado e agradecido em relação a Ignazio, a Marsala e aos músicos que participaram, reafirmando em amis de uma ocasião a sua gratidão e senso de profundo respeito mútuo que “fez nascer, em poucos poucos dias, uma sincera amizade com Ciccio, Gino and Abel” (conceito também reiterado nas sucessivas entrevistas para a imprensa e o rádio)

Para enriquecer mais ainda a noite, teve a presença do maestro  Peppe Vessicchio e da atriz Emanuela Tittocchia entre o público e, no palco,  a de Lidia Schillaci, uma conhecida cantora siciliana, que trabalhou com Eros Ramazzotti, e de Elisa, acompanhada por Alfredo Giammanco no piano e por Gino De Vita, assim como o “Sound and Voices Gospel Choir” de Marsala, que acompanhou os músicos em algumas canções, para terminar com uma gloriosa versão de “Somebody to Love” do Queen que colocou juntos todos os participantes do show.

Pessoalmente foi uma honra colaborar com Ignazio e sua maravilhosa família, foi lindo descobrir a profundidade de Roberto, como artista e como pessoa, e gratificante saber que existe alguém que, apesar de ser famoso “sobre Birgi”, oferece uma bem merecida vitrine aos artistas locais que merecem mais atenção em geral, e até respeito de uma “não pouco excelente e barulhenta” ausência na primeira fila…

Obrigado, Ignazio e Roberto!

Like this Article? Subscribe! / Ti piace questo articolo? Iscriviti!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.